90 toneladas de lixo estão represadas na área de transbordo

Ministério Público autorizou que os resíduos sólidos recolhidos sejam depositado na laje do antigo Lixão da Ferreira

 

 

O prefeito Sérgio Ghignatti conseguiu convencer a promotora de Justiça Débora Becker a liberar provisoriamente a colocação de lixo fora das caixas utilizadas pela Conesul, empresa que faz o serviço de recolhimento, transbordo e destinação dos resíduos sólidos produzidos em Cachoeira do Sul para o aterro sanitário em Minas do Leão.

No momento há cinco caçambas de lixo cheias na área de transbordo, com cerca de 40 toneladas de lixo, sendo que uma delas deixou de ser enviada para Porto Alegre por conta da greve dos caminhoneiros, que entra hoje no seu quinto dia.

Por enquanto, o recolhimento segue normal, mas o secretário de Meio Ambiente Ronaldo Trojahn faz um apelo para a comunidade que só coloque no lixo os produtos “estritamente necessários” enquanto a greve dos caminhoneiros não tiver fim.

“Sempre pedimos para as pessoas reciclarem o máximo possível, e neste pedido o nosso apelo está em evidência pois não sabemos o que acontecerá nos próximos dias. Quem pensava em reciclar e fazer uma composteira de resíduos orgânicos tem agora um bom motivo para começar”, enfatiza Trojahn.

90 TONELADAS

A dificuldade acontece para a entrada dos caminhões da empresa chegarem até Minas do Leão, por conta do bloqueio dos grevistas na BR 290, já próximo a Porto Alegre. No bloqueio feito pelos caminhoneiros em Cachoeira, no trevo de acesso à localidade de Porteira 7, não houve problemas para a passagem dos caminhões. Um dos caminhões enviados pela Conesul está represado perto da entrada de Minas do Leão, carregado de lixo desde esta quarta-feira.

Fora das caçambas, o lixo recolhido desde a noite de quarta-feira até hoje foi empilhado formando uma montanha de 50 toneladas de lixo, junto com os resíduos recolhidos ontem. No total, cerca de 90 toneladas de lixo que deveriam ter sido levadas para Minas do Leão estão no antigo Lixão da Ferreira, só à espera da liberação das rodovias federais.

Comentários