Balsa prepara novo atracadouro na Rua Esperanto

Embarcação não consegue encostar na Rua Moron. Vantagem é que caminhões bitrem poderão fazer a travessia

 

Com auxílio de uma retroescavadeira da Prefeitura, os proprietários da balsa Vitória estão construindo um novo atracadouro no final da Rua Esperanto, na região do Arroio Amorim, Bairro Cristo Rei.

A vantagem agora é que os caminhões bitrem também poderão fazer a travessia de balsa. A rampa de acesso na Rua Esperanto ficou pronta no final da tarde desta quinta-feira.

Nesta sexta-feira o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) João Carlos Tonetto ficou de mandar cargas de rejeito de asfalto para pavimentar o novo acesso pela Rua Esperanto, que é mais largo e menos íngreme, facilitando o trânsito de veículos, em especial os pesados, mas não tem calçamento.

“Compramos duas cargas de pedra e pedimos auxílio da Secretaria Municipal de Obras para que emprestasse uma máquina para construímos a nova rampa. Agora, com o rejeito de asfalto que virá amanhã (hoje), vai ficar bem melhor para caminhões e ônibus, inclusive bitrens”, avalia Edi Simon, investidor da balsa Vitória que também é proprietário da balsa do São Lourenço.

ATRACADOURO ALTERNATIVO

A construção de um novo atracadouro na Rua Esperanto, além de permitir o tráfego de caminhões bitrem, foi necessária porque como o nível do Rio Jacuí subiu nos últimos dias o atracadouro construído na Praia Velha ficou submerso, além disso o espaço para a balsa encostar afunilou por debaixo da copa das árvores, inviabilizando o transporte de veículos, mesmo os veículos de passeio.

O operador da balsa, disse que do jeito que está o atracadouro da Moron também fica muito raso para que a balsa Vitória possa encostar. “Essa encosta é muito espraiada, fica muito rasa quando o rio sobe. Antes o casco da balsa ficava no canal, agora tem de chegar no raso, daí não tem como”, explica Edi Simon.

Comentários