Estúdio Sarasá desvenda as histórias das estátuas da fachada do União de Moços

Imagens representariam os filhos de Noé, o herói bíblico que recebeu ordens de Deus para construir uma arca para salvar a criação de um dilúvio

 

Contratado pelo condomínio União de Moços Católicos para restaurar as oito estátuas histórica que decoram a fachada do residencial localizado no centro de Cachoeira do Sul, o restaurador Antônio Sarasá está indo além do serviço para o qual foi contratado.

Proprietário do Estúdio Sarasá, de São Paulo (SP), ele tomou para si a missão de desvendar a história das estátuas, já que praticamente nada sabe-se sobre quem, quando e porque as estátuas foram colocadas na fachada do prédio.

Chamadas popularmente de musas, as figuras foram coladas na fachada do imóvel por volta de 1850 para decorar a residência de José Custódio Coelho Leal, na época vereador.

Sarasá, o mesmo responsável pela restauração do Château d´ Eau de Cachoeira do Sul, está focado em descobrir o significado das oito estátuas, que são cinco femininas e três masculinas.

Estudo preliminar o faz supor que as imagens representam os oito filhos de Noé, o herói bíblico que recebeu ordens de Deus para construir uma arca para salvar a humanidade de um dilúvio. Somente os três homens são conhecidos pela história: Sem, Cam e Jafé.

VEJA MAIS NA EDIÇÃO DO JORNAL DO POVO DESTA QUARTA-FEIRA.

Comentários