Grêmio negocia renovação para “blindar” Everton de assédio europeu

Everton tem contrato até 2020 e recebe salário fixo e mais produtividade.

 

Além de Marcelo Grohe, Pedro Geromel, Arthur e Luan, o Grêmio tem outro jogador em evidência na atual temporada. Os sete gols de Everton são apenas um detalhe no pacote de atuações do meia-atacante em 2018 e complementam a justificativa para o Tricolor se antecipar bastante em uma negociação para renovação de contrato.

O novo vínculo, proposto pelo Grêmio, será uma maneira de reconhecer a fase de Everton. E também uma blindagem ao assédio europeu que acompanha o camisa 11 há anos.

Everton tem contrato até 2020 e recebe salário fixo e mais produtividade. A ideia do Grêmio é reajustar o valor base dos vencimentos de um jogador que virou titular absoluto do time. Desde 2015 ele vinha flertando com a vaga na equipe, mas tinha altos e baixos.

A multa rescisória de Everton, atualmente, está na casa dos 30 milhões de euros (R$ 127 milhões na cotação atual) e deve pular para mais de 50 milhões de euros após a assinatura do novo contrato. A extensão do vínculo ainda segue em negociação, mas é prevista para logo.

“Não tem a mínima possibilidade de o Everton sair do Grêmio esse ano, salvo alguma oportunidade excepcional”, disse Romildo Bolzan Jr., presidente do clube gaúcho.

A transferência de Arthur para o Barcelona, a ser confirmada em julho, dá fôlego aos cofres do Grêmio e derruba a obrigatoriedade de outro negócio em 2018 para manter as contas em dia. Ainda assim, o clube quer aumentar a multa rescisória de Everton para se garantir. Ao mesmo tempo, a ideia é elevar o salário para evitar uma sedução por ofertas gordas que possam surgir.

Aos 22 anos, Everton já andou na mira do Manchester City e de clubes russos. Mais recentemente, atraiu atenção do Olympique Marseille e da Lazio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *