Trabalhou em 2017? Pode ter até R$ 954 do PIS a partir de julho; confira

Começa em 26 de julho o pagamento do abono salarial do PIS/Pasep relativo a 2017. O calendário de saques, definido pelo governo na terça-feira (26), segue o mês de nascimento dos beneficiários e termina em 28 de junho de 2019.

O valor pago é de até um salário mínimo (atualmente R$ 954) e varia de acordo com o tempo trabalhado. Se a pessoa trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do mínimo.

Segundo o Ministério do Trabalho, os valores são arredondados para cima. Quem trabalhou por um mês, por exemplo, teria direito a R$ 79,50 de abono. Com o arredondamento, o trabalhador recebe R$ 80.

Como o salário mínimo costuma ser reajustado anualmente, os trabalhadores que, conforme o calendário, só puderem sacar o abono no ano que vem, podem receber valores diferentes.

Tem direito quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2017, entre outras situações (veja a lista completa mais abaixo).

Quem perder o prazo de 28 de junho de 2019 perde também o benefício, que vai para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), de acordo com o ministério. Porém, já houve casos de trabalhadores que conseguiram na Justiça o direito de sacar os valores mesmo após o fim do prazo.

A estimativa do Ministério do Trabalho é que 23,5 milhões de trabalhadores recebam R$ 18,1 bilhões.

O saque do abono salarial não tem nada a ver com a liberação extraordinária de saque do fundo PIS/Pasep anunciada recentemente pelo governo. A liberação extra é para quem trabalhou entre 1971 e 1988 e tinha dinheiro depositado no fundo.

 

Comentários